Se por um lado a alta do dólar é só o se ouve nos noticiários, por outro todo dia aparece alguma promoção de passagem para os Estados Unidos. Com menos de mil reais é possível ir pra Miami. Isso é mais ou menos o que se paga pra algumas cidades do nordeste. No entanto, o dólar alto tem assustado muita gente, afinal a passagem é apenas o começo dos gastos.

Mas, estou aqui pra falar que é possível viajar pra lá e ainda fazer umas comprinhas de quebra! Basta um pouco de organização.

Proporcionalmente, as coisas nos Estados Unidos não são tão caras como no Brasil. Por exemplo, pra gente, uma lata de refrigerante custa cerca de dois reais no supermercado. Em um supermercado americano, cada lata custa uns 40 centavos de dólar (dividindo o pack). Ou seja, mesmo convertendo, ainda é mais barato do que aqui. E isso é verdade pra muitas coisas.

O câmbio atrapalha bastante, não há como negar. Mas não impede que você consiga fazer sua viagem, especialmente porque a inflação elevou o preço das coisas no Brasil. Coisas básicas estão mais caras aqui também, então, no fim das contas, o fator de multiplicação do câmbio não vai alterar tanto assim as despesas no dia-a-dia da sua viagem.

Mas há outras coisas que você pode fazer pra reduzir os gastos. Confira nossas dicas.

CONSIDERE AIRBNB.

Até as celebridades americanas já aderiram à moda. Você pode encontrar um apartamento ou casa pra sua família inteira por um valor bem inferior à hospedagem em um hotel.

FAÇA UM ORÇAMENTO REALISTA.

Não adianta colocar no seu orçamento dez dólares por dia com alimentação, porque provavelmente você vai ultrapassar. Um orçamento mais ou menos detalhado é o que fará a diferença entre voltar de viagem com a consciência tranquila e voltar cheia de dívidas de cartão.

Pesquise preços e anote tudo. Leia nossas dicas de como juntar uma graninha. Faça uma planilha, seja organizada. Utilize a nossa tabela de Orçamento de Viagem. Separe o valor da alimentação com folga: se sobrar, você compra uma besteirinha no free shop. Tente definir de antemão com o que quer gastar e anote na sua lista de compras (leia o último tópico desta lista). O objetivo é ser o mais eficiente possível com seu dinheiro.

VÁ AO SUPERMERCADO.

Supermercado americano tem muita junk food, mas mesmo em lugares como Walmart é possível encontrar coisas saudáveis pra comer. Inclua na sua lista frutas, pão integral, queijos brancos, castanhas, iogurtes… ao invés de comer um lanche pouco saudável e caro, leve seus lanchinhos com você. Aproveite e já compre uma bolsinha térmica que você pode trazer pro Brasil e continuar levando para o trabalho.

Você economiza e ainda se mantém saudável. Você pode também fazer uma reserva de hotel sem café da manhã, mais barata, e comprar tudo que precisa no supermercado. Vários hotéis hoje já disponibilizam um frigobar vazio só pra você manter suas compras.

PROCURE DESCONTOS.

Isso se aplica a tanta coisa que vou ter que enumerar:

Cupons de desconto em outlets: Não compre nada em uma loja sem antes olhar o livrinho ou sua lista de cupons impressos.

Descontos em entretenimento: Pesquise descontos para ingressos online. Por exemplo, se quer ir à Broadway, é possível encontrar vários descontos, desde a cabine da TKTS até ingressos de última hora.

Descontos pela cidade: Cadastre-se para receber descontos em seu e-mail antes de viajar. Pra quem está indo pra Nova Iorque, uma dica é o New York deals da NYMag (http://nymag.com/deals/), que seleciona os melhores descontos disponíveis pela cidade. Você se cadastra e recebe promoções de aulas de ginástica, spas, cabeleireiros, restaurantes etc.

FAÇA UMA LISTA DE COMPRAS. PESQUISE PREÇOS. FIQUE DE OLHO EM PROMOÇÕES, NO BRASIL E LÁ FORA.

Quase tudo é mais barato nos Estados Unidos. Mas, de vez em quando, aparece alguma promoção por aqui que faz valer a pena comprar no Brasil. Mas você só vai saber se realmente vale a pena se estiver, de alguma forma, acompanhando a evolução de preços.

Então, faça listas. O ano todo, mantenha uma lista no celular com itens que deseja, que acha indispensáveis, coisas que estão na sua cabeça. Nunca compre por impulso, principalmente em lojas físicas, onde você não pode devolver e pegar o dinheiro de volta. Anote, pesquise e pense.

Há inclusive vários aplicativos de celular pra isso. É mais ou menos assim: suponha que você esteja querendo um tênis novo, mas ainda faltam meses para sua viagem… Vai lá na lista e escreva: tênis de corrida. Pesquise os modelos, leia reviews… Você pode ou não definir um modelo específico, ou vários, ou ainda generalizar.

Depois de já estar por dentro do assunto, pesquise o preço nos Estados Unidos, e também no Brasil. Anote e acompanhe. Se sair uma promoção por aqui você já sabe que vale a pena.

Faça isso pra tudo: descreva os itens e anote os preços. Assim, dá pra saber  quanto mais ou menos vai gastar com sua lista de compras antes de ir (indispensável para o orçamento da viagem). Quanto mais delimitar, melhor. Ao invés de “base nova”, tente “base YSL Eincre de Peau”, e pesquise o preço em lojas de departamento, na Sephora, nos Duty Free. É a melhor forma de evitar gastar com coisas supérfluas. Você delimita suas necessidades e aprende a administrar melhor seu dinheiro. Para te ajudar, use nossa tabela de Lista de Compras.

Quando você faz sua lista de compras ao longo dos meses, vai perceber que muita coisa muda. Às vezes você fica obcecada com alguma tendência super diferente porque, de repente, está em todos os blogs de moda, mas aí um mês depois você supera, e começa a achar que não tem nada a ver.

No mais, é aquela história, “quem converte não se diverte”. Chega uma hora que não dá pra ficar contando todos os centavos. Afinal, você está de férias. Aproveite sua viagem e desencana. Se você fez tudo certo, não vai ter nenhuma surpresa desagradável ao final da viagem.

2 Comentários

  • Uma boa dica também é aproveitar sites promocionais de reserva de hotéis como o hotwire.com e o priceline.com . Ambos possibilitam a reserva de hotel a preço muito mais barato, pois trabalham com as chamadas vendas “no escuro”. Você escolhe a categoria do hotel e a localização, mas só saberá o nome do hotel depois da reserva (cuidado porque a reserva não é cancelável).
    São braços dos sites Expedia.com e Booking.com. Assim, dispensam mais considerações acerca de sua confiabilidade. A questão a ser considerada é só o fato de não poder cancelar.

    A diferença básica entre o Hotwire e o Priceline é que no primeiro o hotel e o preço já estão definidos, muito embora o cliente não saiba, de antemão, que hotel o site oferece. Já no priceline, você pode dar um lance baseado no local e categoria do hotel (se aceitarem, a reserva é confirmada).

    Por outro lado, apesar de focados principalmente em hotéis (embora também façam reserva de carros e venda de passagens aéreas). Acho particularmente interessante a reserva de carros. Já consegui valores absurdamente ridículos no aluguel de carro nos EUA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *